"Mergulhe" no Aquário Vasco da Gama

13-01-2022

Criado pelo Rei D. Carlos em 1898, é um dos mais antigos do Mundo.

Foi renovado e encontra-se bastante apelativo. Aqui encontramos a história da Oceanografia, bem como da fauna e flora marinhas da nossa costa e de outros oceanos.

Leve lá os seus filhos ou netos, fale-lhes sobre Júlio Verne e as suas 20.000 Léguas submarinas. Sobre o Nautilus e o Capitão Nemo, sobre os tesouros do fundo do Mar (os materiais e os ecológicos).

Explique-lhes as variedades então existentes ali documentadas e as que infelizmente já desapareceram das nossas costas, fruto da pesca intensiva e das condições ambientais adversas.

Veja o escafandro, fale-lhes das diferenças de pressão entre a superfície e o fundo do mar. Ilustre com modelos vivos características e variedades de peixes e aves marinhas que vemos de quando em vez por aí, nos mercados ou (cada vez menos) nos nossos pratos.

Estimule-os para a sustentabilidade dos recursos e da sobrevivência das espécies.

Aprecie os instrumentos usados pelo Rei D. Carlos, fundador do Aquário, durante as suas pesquisas e maravilhe-se com a beleza das suas aguarelas e o rigor com que documentava nos seus arquivos as várias espécies e descobertas efectuadas.

Depois, cá fora, sente-se por momentos no jardim, leve um bloco e uns lápis e deixe-os desenhar ou pintar o que mais os impressionou. Solicite-lhes uma pequena redação sobre a visita, corrigindo pequenos detalhes que poderão ter entendido mal, ou complementando as suas observações normalmente muito agudas e pertinentes.

Se quiser levar a família, a interação será ainda maior e o benefício acrescentado.

Promova igualmente uma visita ao Oceanário e realce a complementaridade das destes dois centros de ciência viva.

Divulgue a experiência.

Fique seguro de que nunca mais se esquecerão de lá ter estado.

Afinal, uma lula com 120 kg e 8 metros de comprimento não nos cai no prato todos os dias!

Lisboa 21-12-2021


José Aleixo Dias (1)

(1) o autor escreve segundo o antigo acordo ortográfico